• Pré-Marcação de Consultas



  • Morada

    Rua Quintino António Gomes 12
    2640-402 Mafra
    Coordenadas
    GPS
    38.942578,-9.35530

    A consulta só é confirmada após o nosso contacto.

Proteja o seu cão no Verão: o “Golpe de Calor” pode matar

O Verão caracteriza-se como uma época de férias para muitos portugueses, que dispõem de mais tempo livre para dedicar aos seus animais de estimação: fazemos passeios de rotina mais longos e levamo-los para todo o lado, inclusive em viagens longas. Contudo, apesar de tudo isto parecer normal, é essencial ter cuidados redobrados e agir preventivamente para evitar complicações quer para si como para o seu animal.

Segundo o The Independent, mesmo com uma temperatura exterior de 22º C, o interior do seu carro pode atingir os 47ºC no espaço de uma hora. Deixar a janela um pouco aberta não é suficiente para garantir que o seu cão não irá sofrer ao ficar preso naquele espaço, sujeito ao calor por uma ou mais horas. Lembre-se que o calor não é o melhor amigo do seu cão.

Os números demonstram que, nos cães que são sujeitos ao golpe de calor, a morte ocorre dentro das primeiras 24 horas sendo portanto fundamental a sua rápida atenção e intervenção.

O que é?
O Golpe de Calor é uma reação que ocorre quando a temperatura corporal sobe bruscamente e o organismo é incapaz de compensá-la, resultando na disfunção de diversos órgãos, o que pode levar à morte do animal. Ao contrário de nós, os cães não transpiram tendo por isso uma maior necessidade de se abrigar do calor para controlar a sua temperatura. Na impossibilidade de encontrarem superfícies frias ou sombras, o cão aumenta a ventilação pulmonar e fica com a respiração ofegante. Mas, infelizmente, este mecanismo de arrefecimento é muito menos eficaz que a transpiração.

Os principais sintomas são:
- respiração muito ofegante e salivação excessiva;
- batimento cardíaco acelerado;
- pele muito quente e temperatura retal elevada;
- ocorrência de vómitos e diarreia;
- poderão apresentar descoordenação e fraqueza muscular, podendo inclusive cambalear, ter convulsões e até perder a consciência.

Todos os cães podem sofrer um golpe de calor mas existem grupos de risco:
- os cães jovens (até aos 12 meses de idade);
- os cães geriátricos (ou idosos – com mais de 8 anos);
- os braquicéfalos (com o focinho achatado), de entre os quais as raças Bulldog Francês, Bulldog Inglês, Boston Terrier e Boxer;
- os obesos;
- os de pelo comprido ou muito espesso;
- os cães com problemas cardíacos, vasculares ou respiratórios.

Precauções e cuidados básicos:
- manter sempre água limpa e fresca à disposição;
- manter a circulação do ar no local onde ele se encontre, seja em casa, varanda ou no carro (nunca trancá-lo em áreas quentes e fechadas);
- garantir sempre a existência de uma sombra no local de permanência do animal;
- adquirir tapetes refrescantes de combate ao calor;
- nunca deixar o animal sozinho dentro do carro;
- não praticar exercício intenso durante as horas de maior calor (cuidado também com as queimaduras nas patas);
- em viagem, manter as janelas um pouco abertas ou o ar condicionado ligado e fazer paragens de duas em duas horas para lhe oferecer água fresca.

Apesar de tudo, se o seu cão sofrer um golpe de calor deverá dirigir-se imediatamente a um médico veterinário. Lembre-se que um golpe de calor é uma urgência médica que, se não for controlada a tempo, pode ser fatal para o seu animal.

Enquanto não chega ao veterinário deverá:
- molhar todo o corpo do animal com água fria para baixar a sua temperatura corporal. Não utilize água gelada;
- embrulhar o animal em toalhas húmidas, que devem ser molhadas aos poucos;
- oferecer água e humedecer a boca do animal, sem força-lo a beber, e sem deixar que beba em excesso;
- na viagem, ligue o ar condicionado no máximo ou leve os vidros do carro todos abertos (não o coloque na transportadora).

Download da imagem em formato PDF: Infografia Golpe de Calor







© 2018 HVA Hospital Veterinário do Atlântico em Mafra Urgências 24h