• Pré-Marcação de Consultas



  • Morada

    Rua Quintino António Gomes 12
    2640-402 Mafra
    Coordenadas
    GPS
    38.942578,-9.35530

    A consulta só é confirmada após o nosso contacto.

Dermatite Alérgica à Picada da Pulga (DAAP)

O que é?
A dermatite alérgica à picada da pulga é um dos problemas cutâneos mais comuns no cão e no gato. Define-se como uma hipersensibilidade (reação alérgica) aos componentes da saliva da pulga.
Apesar de existirem animais que toleram um número considerável de picadas de pulga por dia, cães e gatos que tenham predisposição para DAAP não toleram uma única picada sem que iniciem os sinais clínicos típicos do problema.

A DAAP tem maior incidência na altura da Primavera/Verão, contudo, pode ocorrer em qualquer altura do ano.
Como se sabe, a pulga é o ectoparasita (parasita externo) mais frequente no cão e no gato. No cão a pulga mais comum designa-se por Ctenocephalides canis e no gato Ctenocephalides felis. Estes ectoparasitas alimentam-se do sangue do seu hospedeiro, picando-o para o efeito.

Sinais Clínicos:
- Prurido intenso (o cão tende a morder, coçar, esfregar-se no chão; o gato tende a lamber-se excessivamente ou arrancar os próprios pêlos);
- Perda de pêlo;
- Pele ruborizada (vermelha);
- Apresentação de crostas na região lombar e base da cauda;
- Piodermatite secundária.

Em situações crónicas podem surgir outros sinais clínicos:
- Inflamação crónica da pele;
- Falha de pelagem;
- Descamação da pele;
- Mudança de tonalidade da pele para tons mais escuros, sem que surja mais crescimento de pêlo na zona.

Como se diagnostica?
Através da observação das lesões e/ou observação de pulgas ou fezes de pulga. Contudo, o seu animal pode sofrer de outros processos alérgicos paralelos e o médico veterinário poderá necessitar de realizar outros exames complementares de diagnóstico para descartar doenças concomitantes.

Como se trata?
O objetivo principal do tratamento consiste em eliminar os sinais clínicos da DAAP no cão/gato, sendo o tratamento sintomático do seu animal prescrito pelo médico veterinário.
Outro objetivo, também muito importante, é reduzir ao máximo o número de picadas de pulga. Neste caso, o dono tem um papel muito importante na eliminação das pulgas quer no próprio animal, quer no meio envolvente.
Existem atualmente, produtos disponíveis no mercado bastante efetivos no controlo de pulgas.

Sabia que as pulgas presentes na pelagem do seu animal representam apenas cerca de 5% da infestação presente no meio ambiente que o rodeia?

Os restantes 95% consistem em ovos, larvas e pupas não visíveis a olho nu. Por esse motivo as infestações de pulgas podem-se tornar bastante difíceis de controlar. Quando tentar eliminar uma infestação de pulgas deverá focar-se não só no animal infestado, como no meio ambiente!

Assim sendo, deverá adotar medidas como:
- Aspirar todos os tapetes, carpetes, sofás, cortinas (tendo particular atenção aos locais mais frequentados pelo animal);
- Lavar mantas, camas, almofadas com água bem quente com detergente ou lixivia;
- Deverá ter atenção aos locais onde haja frechas ou ranhuras, rodapés, atrás do frigorífico, máquinas de lavar, ou outros locais que sejam de difícil acesso ao aspirador.

Como prevenir a DAAP?
Deverá fazer prevenção contra ectoparasitas no seu animal. Esta prevenção pode ser feita através de pipetas spot-on, comprimidos orais ou coleiras, que podem ter uma aplicação mensal, trimestral ou no caso específico das coleiras cada 6 a 8 meses.
Informe-se sobre que prevenção adotar com o seu médico veterinário.

 







© 2017 HVA Hospital Veterinário do Atlântico em Mafra Urgências 24h